Diário de viagem | Campos do Jordão, SP

julho 26, 2017

A galerinha do instagram já tá sabendo que eu acabei de voltar de férias de um lugar que sempre tive muita vontade de conhecer: Campos do Jordão.
Essa cidade fica no interior de São Paulo e a umas 4 horas de distância do Rio de Janeiro de carro. Conhecida como Suíça brasileira, é uma cidade bem fria o ano inteiro e só pra vocês terem uma noção, nos quatro dias que fiquei por lá, a temperatura mais baixa foi de 4 graus por volta das 22h. Eu AMO frio, mas como carioca e mais acostumada com temperaturas acima dos 25 graus, achei beeeeeeeem gelado. hahaha Mas tava maravilhoso, ligo não. <3

Pra quem não sabe, todos os anos no mês de julho acontece o Festival de Inverno de Campos do Jordão, que é um festival de música erudita. Tem programações gratuitas e pagas e ao redor de toda cidade, mas a maioria é realizada no Auditório Claudio Santoro. Eu não cheguei a ter a oportunidade de participar de um dos eventos, mas fica a dica pra quem curte ou pra ir em outra data pra quem prefere visitar a cidade quando ela estiver mais vazia.

E como vocês pediram um Diário de Viagem com dicas de Campos do Jordão e o seu pedido é uma ordem, vou dividir este post pelos 4 dias viagem e detalhar tudinho pra vocês.


DIA 1

Saímos do Rio no final da manhã e seguimos viagem até Campos do Jordão. Chegamos no finalzinho da tarde e como era um domingo, o centro estava bastante cheio.
Graças ao bom Deus conseguimos um hotel com ótimo preço e bem no centro de Capivari

Aaaah, MUITO IMPORTANTE: em Campos do Jordão não tem sinal de trânsito/semáforo. Se você for de carro e for do Rio de Janeiro que tá acostumado a avançar sinal por medo de assalto, reduza a velocidade em todas as faixas de pedestre e cruzamentos senão você atropela alguém fácil ou bate com o carro bem fácil também. hahaha É trágico mas é verdade. (Cidade de gente educada é outra coisa, né?)

Nos instalamos no hotel, ajeitamos as coisas, tomamos um banho (se toma banho no frio, tá? hahaha) e saímos pro centrinho de Capivari. Esse centrinho é bem aonde ficam os restaurantes. É bem um polo gastronômico mesmo, com opções pra todos os gostos e bolsos.
Neste dia jantamos no restaurante Vemaguet 67, que tem uns petiscos deliciosos - com opções vegetarianas muito amô - e eles tem cobertores bem quentinho nas cadeiras. Já ganhou meu coração!
Lá em Campos do Jordão grande parte dos restaurantes possuem aquecedores, então fica tranquilo que você não vai passar frio se o restaurante que você for não tiver cobertor.

DIA 2

Antes de mais nada eu queria te contar que a ordem cronológica de passeios da viagem que fiz antes de chegar a Campos do Jordão ficou totalmente diferente da que de fato fizemos. Isso porque eu achei que a gente conseguiria fazer alguns passeios a pé, mas quando cheguei lá vi que precisaria do carro pra quase todos os passeios e aí usamos e abusamos do gps do celular pra ajudar a gente a visitar os lugares perto da onde a gente tava e não perder muito tempo porque os lugares tem horários de funcionamento (a maioria encerra às 17h) e alguns tem até dias específicos de funcionamento. Então sempre fique ligadinho nisso, combinado?

Como a gente gosta muito de explorar os lugares que visitamos nas nossas viagens, a gente costuma tomar um café da manhã de rei no hotel pra não precisar parar pra almoçar e depois só beliscar alguma coisa no final da tarde. E um café da manhã bem tomado, meu amigo, é de dar orgulho! #ficaadica

A primeira parada foi no Morro do Elefante. Você consegue subir de carro ou de teleférico e optamos por subir de carro mesmo. É bem perto do centro, acho que subimos em uns 5 minutos e lá de cima você consegue ver quase que a cidade inteira de Campos do Jordão.


Através de algumas pesquisas que fiz antes de viajar, vi que tem algum outro caminho que leva pra uns pedalinhos (acho que é bem na chegada do teleférico, não tenho certeza), mas como eu não curto muito essa vibes, eu tirei umas fotecas e seguimos para o nosso próximo destino que foi o Horto Florestal, que nada mais é que um Parque Estadual super lindo e com uma natureza incrível!






Lá dentro tem várias atividades pra adulto e pra criança como passeio de trenzinho, área para piquenique, orquidário, bosques, lagos, lojas de artesanato e várias trilhas. A entrada custa R$ 13,00 por pessoa (inteira).

Depois fomos na Cachoeira Véu da Noiva que fica na beira da estrada e, sinceramente, é parada bem rápida, só pra tirar uma foto e adeus, porque é um pedaço bem pequeno da cachoeira que se vê e no dia que eu fui tava um tanto cheio (porque funciona um restaurante no local) e achei que não valeu a pena o perrengue pra estacionar.


Pelo menos Papai do Céu caprichou na beleza do dia. <3

Em seguida fomos para a Cervejaria Baden Baden. Eles abrem pra visitação, mas tem que agendar com uma certa antecedência porque o bagulho é doido de tão concorrido. É cobrada uma entrada de R$ 30,00 por pessoa.


Só que tivemos um contratempo - na verdade eu achei que a cervejaria ficava no mesmo lugar do restaurante da Baden Baden e acabamos nos atrasando - e tem que chegar com 15 minutos de antecedência. Chegamos 10 minutos depois do horário agendado e não conseguimos entrar. :(
Existe uma fila de espera lá para os horários seguintes, mas dependendo da quantidade de pessoas esperando pra entrar é quase impossível. Nós esperamos pelo  horário seguinte e não conseguimos, aí partimos para o Mirante do Lajeado.




Esse mirante fica exatamente ao lado do Parque Amantikir e tem uma vista incrível! Se você for passar por ali vale super a pena parar pra ficar admirando a vista por alguns minutos.

O Parque Amantikir é um parque com mais de 20 jardins que representam e levam os nomes de vários países. A entrada custa R$ 40,00 (inteira).








No final do dia nós fomos ao Mosteiro São João para ver o famoso canto gregoriano das Irmãs Beneditinas. Como o mosteiro estava em obra e já fomos no final da tarde, a lojinha já estava fechada e apenas ficamos para o canto que acontece todos os dias às 17h45 pontualmente.




À noite fomos comer fondue no restaurante Safári que fica no centro de Capivari e pra ser bem sincera, nós detestamos. A maior parte dos restaurantes que servem fondue lá em Campos do Jordão trabalham com sequência que é carne, queijo e chocolate. Expliquei a eles que sou vegetariana e a garçonete me disse que eles adicionariam uma porção de brócolis, pães, cogumelos e outros legumes que não lembro agora, além da carne normal. Acontece que a porção deles (de carne mesmo) chega a ser ridícula de tão pouca e no meu caso eles não adicionaram a porção "vegetariana", mas dividiram pela metade. Depois, quando veio o doce, nos decepcionamos mais ainda porque vieram duas tigelas micros com morango, banana e umas frutas meio nada a ver tipo maçã. Fondue que não tem uva, pra mim, não é fondue. hahaha Mas sério achamos super mal servido pra custar R$ 119,90. Não recomento!

DIA 3

Dias de luta, dias de glória, já dizia Charlie Brown Jr. Sejam bem vindos ao melhor dia da viagem! :D E começamos indo ao Pico do Imbirí que é fácil de chegar, mas eu recomendo fortemente a você subir de quadriciclo. Nos atrevemos a ir de carro e paramos no meio do caminho. Por mais que não tenha chovido, lá é muito alto e o chão de barro fica bastante úmido. Largamos o carro há cerca de 13 minutos do pico e fomos andando mesmo. Rola umas subidas tanto na ida quanto na volta e dá pra cansar, mas vale a pena.



De lá vemos algumas cidades vizinhas de Campos do Jordão e temos uma rica visão das montanhas maravilindas que formam a Serra da Mantiqueira.

Depois seguimos para o Museu Felícia Leirner e Auditório Cláudio Santoro que ficam no mesmo lugar e a entrada custa R$ 10 a inteira por pessoa.
O museu é a céu aberto e traz artes visuais incríveis com uma beleza natural mais incrível ainda!





O Auditório Cláudio Santoro é o palco principal do Festival de Inverno da cidade. Quando fomos não tinha nenhum evento acontecendo, mas vale a pena conhecer pela beleza do lugar.


Estão preparados pro lugar mais lindo da vida toda?


Essa imagem deslumbrante é apenas do lago que você passa antes de chegar no Pico do Itapeva. Fica um pouco mais distante da cidade, porque na verdade este pico é em Pindamonhangaba, mas a chegada dele é através de Campos do Jordão.



De lá de cima do Pico do Itapeva dá pra ver 15 cidades do Vale do Paraíba e a vista é de tirar o fôlego!


Na volta dessa belezura toda, paramos na Ducha de Prata que sendo sincera again não achei que vale a pena, até por que a água é bem fedorenta. prontofalei
É uma queda de água canalizada, nada natural. Só criança que curte porque tem uma tiroleza para os pequenos.


Bem ao lado fica o Bosque do Silêncio que tem várias atividades para crianças e algumas trilhas. No início fiquei tentando entender o silêncio que se referia ao bosque porque tinha muita criança (mesmo) e onde tem criança não existe silêncio, hahaha. Mas lá pra dentro das trilhas tem uns bosques com umas árvores super altas e lindas e é gritantemente silencioso.



Neste dia resolvemos comer uma pizza à noite e seguimos na luta de encontrar uma pizzaria pelo centro de Capivari, o que não foi uma tarefa muito fácil - para a minha surpresa.
Poucos são os restaurantes que servem pizzas e a grande maioria tem um preço bem salgado, mas achamos o Cantinho da Serra que tava com uma promoção mara de vinho e tem uma pizza à lenha deliciosa! Recomendadíssimo!




DIA 4

Um dia antes de nossa partida decidimos ir nos últimos lugares de nosso interesse na cidade pela manhã para de tarde bater perna pelas lojas de lembrancinha do centro.
O Palácio Boa Vista (residência de inverno do governador de São Paulo) foi a primeira parada do dia, mas tava com uma fila tão grande que decidimos tirar umas fotos e seguir o caminho.




Na verdade o Palácio tem dias e horários de funcionamento específicos. Recomendo que dê uma olhada nisso antes de planejar o seu roteiro. E se quiser conhecer muito o interior dele, chegue cedo porque a fila castiga! hahaha

Em seguida demos um pulinho na Vista Chinesa que fica bem no início da cidade (antes do pórtico pra quem chega em Campos do Jordão). Também conhecido como Mirante Belvedere, a vista é inteira do Vale do Lajeado. Recomendo ir quando tiver indo embora da cidade a não ser que esteja de bobeira tipo a gente.


Depois voltamos para o centro de Capivari e andamos nas lojinhas que não ficam abertas à noite. São basicamente lojas que vendem roupas, doces, artigos de artesanato e lembrancinhas.



Neste dia resolvemos almoçar e voltamos ao Vemaguet 67, onde pedi a panqueca vegetariana que é maravilhosa! Fernando ficou na parmegiana e arrasamos na sobremesa: se liga nesse bolo de chocolate com sorvete. #bateusaudade







Á noite fomos conhecer o famoso Pastelão do Maluf e realmente é imenso! hahaha Serve fácil duas pessoas.



No dia seguinte tomamos café e viemos logo embora porque paramos em vários lugares no meio do caminho de volta.


Se você quiser ver mais um pouquinho e acompanhar minha viagem mais de perto, eu estou publicando vlogs lá no meu canal do youtube de cada dia de viagem, mostrando todos os detalhes do lugares que visitei e da cidade - além do instagram, é claro.
É só dar play no vídeo aqui embaixo. Pra acompanhar os próximos, não se esquece de se inscrever no canal e ativar as notificações no sininho, combinado? ;)


Qualquer dúvida é só mandar nos comentários. (:

BEIJOS

Você também deve gostar

4 comentários

  1. Respostas
    1. Oii flor! Eu fiquei no Hotel Nevada (na parte dos anexos) e de domingo a quinta eu paguei R$ 1200 no quarto pra duas pessoas. (:

      Excluir